quarta-feira, 20 de outubro de 2021

São só perguntas

 

O que dói mais?

Deixarmos de amar alguém ou alguém deixar de nos amar? 

E quando acontece é de uma vez só, como um corte, ou vai acontecendo? Ou das duas formas?

Idealmente devia ocorrer ao mesmo tempo, dois barcos afastando-se mais e mais, o mar de permeio a unir e a distanciar, um adeus leve cheio de vento e ternura. Há despedidas assim? Ou há sempre dor, mesmo que amortecida, daquelas que se transportam sem exigir medicação ou consulta?

Eu só estou aqui a perguntar, nada mais. 

~CC~


 


terça-feira, 19 de outubro de 2021

Há um moinho para o estuário

 


O lugar é belo. Há um moinho para o estuário onde tudo acontece. Não é bem dentro do moinho mas numa casinha de pedra recuperada.

A formadora, uma amiga de muitos anos que investiu a sério na sua formação. Nada como eu, uma salta pocinhas que gosta de espreitar (quase) tudo.

O Sociodrama é um trabalho com o teatro cujo objectivo não é a produção do espectáculo, uma técnica que o usando serve o conhecimento de nós próprios, dos outros e nos coloca a pensar sobre o mundo em que vivemos. Tardes desafiantes para pessoas que se desafiam. 

~CC~


segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Lugares amados


 Tanta gente outra vez. Felizes por estarmos juntos, fecharmos os olhos para respirar a beleza, bater as palmas e sentir que o som é forte, outra vez forte.

~CC~

sexta-feira, 15 de outubro de 2021

Daquela cor

 


Se eu pudesse encontrar esta cor que torna as árvores intensas, macias e quentes...pintaria com ela os meus cabelos para combinar inteiramente com este Outono. Mas só conheci pálidas comparações em cabeças ruivas saídas do cabeleireiro, nada que se lhes compare nas matizes, nuances e sombras.

~CC~


quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Regresso

 

Pelas dores que sinto com a semana ainda a meio, já sei que o ensino presencial me toma todo o corpo numa vertigem, isso é uma enorme diferença e para melhor. Ainda assim, sinto falta de andar descalça. E a máscara, que sufoco.

~CC~